quinta-feira, 18 de março de 2010

da fuga

Fugimos quando havíamos acabado de nos formar!
Era um dia de sol, dia de verão. A música do dia era "Conversa de Botas Batidas", de Los Hermanos.
Se não fugíssemos, jamais teria dado certo. Vocês sabem, não é? Eu vindo de família humilde, ela cheia da grana...
Ninguém quer um pé rapado. A gente namorava há algum tempo, fazia um ano e 4 meses. Ainda com meu diploma, os pais dela não queriam! E olhem que tive uma das melhores médias no curso, 9.2!
Fugimos pro Rio Grande do Sul. Havia bastante concurso na minha área, as chances de que eu passasse pra algum era bastante grande. Ela iria tentar algum concurso também, haviam muitas possibilidades pra nós dois. Éramos bons no que fazíamos. A cidade escolhida foi Gramado. Era calma, totalmente linda e fazia friiiio! Dava pra dormir agarradinho toda noite, até mesmo com ela de tpm, acredita? Meu sonho de consumo desde os 12 anos!
Depois da fuga e de algumas horas de viagem, chegamos e ligamos para nossos pais. O pai dela quase tem um troço. O pessoal lá de casa já estava avisado, mas proibi minha mãe de contar algo até que eu estivesse lá. O escândalo foi grande, o pai dela queria ir buscá-la na mesma hora, perguntando onde ela estaria. Para minha surpresa, quando conversamos mais tarde no mesmo dia, ela havia me dito que conversou com a mãe. Poxa,a gente queria viver junto e ser feliz, só isso! Estávamos com mais de 23 anos e precisávamos de expectativas.
Eu tinha pouco menos de seis mil reais na conta, dinheiro que tinha juntado das bolsas da universidade, monitoria e afins. Juntos, devíamos ter uns dez mil, dinheiro suficiente pra passar um ano pagando um aluguel de R$500,00 e tentar se manter até conseguir emprego. Se não conseguíssemos emprego em um ano, voltaríamos pra casa com a cabeça baixa e sem direito de reclamar. Óbvio que, depois de tanta confusão, definitivamente não era isso que queríamos! A sorte grande apareceu depois de três meses! Concurso da prefeitura da cidade: 10 vagas pra minha área (Engenharia Civil) e 5 pra dela (Nutrição). A taxado concurso era barata, mas o salário dos dois, se passassem, daria exatamente R$6.550,23, fora benefícios como alimentação, transporte e afins. Ainda que só um passasse, estaria tudo ótimo! Se ela passasse e eu não, óbvio que eu não ia ficar sendo sustentando, por isso acho que nunca estudei tanto na minha vida como naqueles dois meses que precederam o concurso. Terminou que só eu passei, ela ficou na lista de espera. Quando ligamos para dar a notícia aos nossos pais, o suspiro de alívio deles foi gigante. Depois da prova ainda passei mal, fiquei três dias no soro. Bem que quando começamos a namorar meus amigos tiravam onda dizendo que meu sogro mexia com macumba. Foi só o começo da nossa vida. Nossos planos na época eram ter três filhos, Joaquim, Alice e Anastácia, ter um bom carro, uma boa casa e poder viajar bastante! Acho que conseguimos realizar quase tudo até agora.

Amanhã escrevo mais. Agora tenho de ir, ela e o Joaquim estão me chamando pra montar a árvore de Natal!

5 comentários:

Ariana Fernandes disse...

acho que ele ainda vai se ferrar bonito. seila porque. Mas a historia é bonita *-*

Cleo disse...

fiquei imaginando tudinho.
todo mundo devia ter um futuro assim.

eu quero ser você. disse...

vou começar a escrever a história deles dois!

Thaina A. disse...

Que história linda :D

Thaina A. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.